O AMOR

O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente
Cala: parece esquecer

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pr'a saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar...

Fernando Pessoa

2 comentários:

Ivani disse...

Olá, Falk!
Que poema lindo! Uma ótima semana para você.
Beijos!

CESAR FERRO disse...

Sou novo por aqui e não sendo redundante, que trabalho bonito moço!mas meu scrap aqui é por outro motivo além de apreciar seu trabalho!Recebi um selo e indiquei voce,duvido que já não tenha mas fica então um selo dobrado que para voce será mais um hehe
abraço

MEU PAPEL É SER SUA COMPANHIA.
falkbrito@gmail.com